17/03/2008

Não gosto de fotografias

Não gosto de fotografias. Não há nada de bom na recordação de um passado de juventude, beleza e ingénua alegria. É raro olhar para uma fotografia de mim ou de alguém que eu reconheça, de um familiar desaparecido, um amigo ausente, um amor perdido, de alguém que tenha ficado lá atrás, sem me invadir com isso uma tristeza descomunal. Mesmo que seja uma fotografia de mim, já não sou eu. Nada do que ali está naquela fotografia de um sorriso traquina e camisola verde, com o fundo de um ribeiro no meio das pedras e árvores colado em papel na parede da escola atrás de mim, sou eu. Eu seria incapaz de sorrir assim. Se há pessoas que acreditam que as fotografias são as nossas almas roubadas, porque não os respeitamos e seguimos? Há tanta gente que acredita nisso que nem todos podem estar enganados. A fuga para o passado é tão infrutífera como a fuga para o futuro. Se tivéssemos fotografias do futuro também perderíamos tempo a pensar no bem que vamos estar daqui a quinze anos e não podemos. Só as fotografias de dedos em cima da cabeça a fingir cornos, de calças derreadas para vislumbre de um branquíssimo cu ou de grupos de bêbados em qualquer festejo carnavalesco merecem existir. De resto, todas as fotografias que temos parecem dizer-nos: “Olha onde eu estou (ao lado da torre Eiffel ou da sagrada família ou das piâmides de Gizé) enquanto tu estás a pensar naquele dia em que estiveste cá e tiraste essa fotografia”, “Olha com quem eu estou (a namorada que tu tanto gostavas) enquanto tu estás a pensar quando a tinhas e tiravas fotografias como esta”, “Olha como eu sou (bonito, jovem, sem rugas… sem o passar do tempo marcado em mim a ferros) e tu a pensares…” E tu a pensares no bom que era viver sem preocupações, no bom que era a tua vida no passado, enfim, tu a pensares na fotografia.

(João Freire)

Reaproveitado para o desafio de Março da Fábrica de Letras, subordinado ao tema "Fotografia"

16 comentários:

ipsis verbis disse...

é realmente uma merda...

OlhaRes IndisCretos disse...

Olhares para uma fotografia tua e achares que ja nao es tu? Significara isso que amanha ja nao es o mesmo de hoje? Ui, isso e perigoso! Desde que nasces, quer queiras quer nao, seras sempre o mesmo! Felizmente podes-te moldar, evoluir, amadurecer, limares o bom e o mau...mas a essencia sera sempre a mesma! E e precisamente isso que fica na fotografia....o nosso sorriso, com mais ou menos rugas, com roupa mais pinderica, em sitios que ja nao nos dizem nada...ou ate mesmo com a tal pessoa de quem gostavamos tanto...isso tudo SOMOS NOS! Nao fujo do que fui...nao fujo de recordaçoes que me magoam...nao fujo de sitios que me prenderam (ou nao)...de pessoas que ja partiram...nao fujo da minha vida porque, por cada segundo que vivi me transformei naquilo que sou hoje!

Por isso digo "eu gosto de fotografias"...permitem-me recordar com mais intensidade que vivi, como, com quem e onde!

Beijo FasHion

OlhaRes IndisCretos disse...

Felizmente que podemos optar quais as fotografias que queremos ver com mais frequência...
Concordo com o comentário anterior claro, gosto de fotografias, acho que aprendi a gostar quando comecei a gostar mais de mim.
Por isso considero que a forma como vemos as fotografias depende em muito da perspectiva em que nos encontramos.

Beijo Frozen

johny disse...

Mas eu não gosto. Sempre foi para mim muito deprimente... no sentido de eu ser uma pessoa muito sensível e emotiva :) Quanto mais antigas as fotografias, mais me custa vê-las; quanto mais diferença há entre o actual das pessoas e a fotografia, mais me custa... sei lá... nunca gostei.

johny disse...

E sobre o que a fahion diz... já nem sei, eu penso que o queria dizer era precisamente isso: que amadurecemos, aprendemos... mas já nem tenho a certeza disso. Será que a essência ainda é a mesma ou as pancadas que levamos na vida vão afectando até o núcleo do imutável? Não sei se sou o mesmo que era naquele dia daquela foto que vi quando escrevi o texto. Se virmos bem, nós lembramo-nos de tão poucas coisas do passado...

(As meninas já aprenderam comigo a ser do contra ou também são assim por natureza? Uma sei que é... e se o é!)

OlhaRes IndisCretos disse...

Na...nao e ser do contra, e ser sincera ;)
Somos duas, mas cada qual com a sua cebecinha...normal concordarmos literalmente em certos e determinados temas!

Beijo FasHion

johny disse...

Nem eu arriscava pensar de outra forma. Se bem que, às vezes, (notem bem que não estou a dizer que é o caso) as mulheres têm a capacidade incrível de concordar umas com as outras... mesmo quando discordam!

OlhaRes IndisCretos disse...

Ahaahahhah....sera por isso que vao sempre aos pares a casa de banho?! Normalmente uma so faz companhia lol

FasHion

johny disse...

Isso é um fenómeno que possibilita muitas explicações...

Simples companhia;
Segurar a mala;
Segurar a porta;
Segredar sobre os pares, comparar e decidir quem fica com quem;
Segredar sobre toda a gente que conhecem;
Sexo lésbico (Sim, eu acredito nisto piamente)
Entre outras razões

OlhaRes IndisCretos disse...

Parece q percebes muito e muito bem das idas das mulheres à casa de banho!!!

Frozen

Catarina Sofia disse...

Depois desta viagem a 2008...

Hum, e fotografias a sítios. e coisas? Não gostas também?

Eu entendo o que dizes, há fotos que eu dispensava bem que a minha mãe tivesse expostas, fotos de uma adolescente gorda nas quais não me reconheço e deveria ser proibido mostrar aquilo :p

Mas pronto, tenho fotos que gosto... Sou saudosista qb para gostar de relembrar o bom de um passado distante ainda que as pessoas presas nas fotos sejam também elas pessoas do passado.

Como costumo dizer dos sítios, "no dia em que não sentir saudades de um sitio por onde passei, é porque essa passagem foi horrível"... O mesmo posso dizer de pessoas ou locais que guarde em fotografias :)

Diferentes opiniões neste mês :)*

Mz disse...

Johnny no seu melhor, tu és um corte... por onde andas?

E por falar em fotografia, agora entendo a tua, a do perfil :)

Bjs

Fábrica de Letras disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Johnny disse...

Catarina Sofia, a sítio e essas coisas não tenho problemas e andam algumas aí pelo blogue pelo simples facto de que são mais imutáveis e por isso menos propensos à comparação e à tristeza que daí advém. E mesmo em relação às outras fotografias, eu gosto delas, mas é precisamente por gostar delas e apreciar o seu carácter estético e nostálgico que não gosto delas.... fico triste. Quanto ao facto de não concordarmos, deixa lá... amigos como dantes :)

Mz... ando afastado, ando e peço desculpa, mas nem há uma verdadeira razão... é cansaço generalizado, penso. Quanto à foto do perfil.... calhou... e mesmo no FB tenho poucas... mas também já tive mais problemas com a manutenção de um estado semi-incógnito porque ninguém quer saber disso... É por apetites.

Beijinho.

Briseis disse...

Oh... Johnny, ao ler o teu belo post dei-me conta de que sou uma masoquista sem vergonha... é que não só me delicio a ver fotografias que mostram uma EU que já não sou (porque compreendo muito bem o que queres dizer com isso) como ainda perco tempo a ler notas que escrevi enquanto chorava e enquanto ria... E ao relê-las agora choro novamente... Gosto da ideia de as verdadeiras fotos, as que merecem ser guardadas, serem as de dedos em cima da cabeça... e gostava de ser assim também. Em vez disso, procuro no meu antigo sorriso tão sereno as diferenças do de agora, mais assombrado...

Johnny disse...

Briseis, consegues deliciar-te porque és mais forte do que eu (toda a gente sabe e está provado cientificamente que as mulheres têm maior tolerância à dor)