21/12/2010

A melhor canção de Natal de sempre ou apenas uma das melhores canções de sempre

Em 2000, após ter participado num programa de rádio para a BBC em Cuba, Kirsty MacColl tirou uns dias de férias em Cozumel, no México, com os seus filhos e o seu companheiro, o músico James Knight. No dia 18 de dezembro ela e seus filhos, juntamente com um veterano de mergulho de seu nome Ivan Diaz, foram fazer mergulho numa área reservada na qual todas as embarcações estavam impedidas de entrar. Num desses mergulhos, quando o grupo regressava à superfície, um barco a motor entrou na área restrita a grande velocidade. MacColl viu o barco antes dos seus filhos e nadou na direcção de um deles, Jamie, que estava no caminho do barco, empurrando-o a tempo de o salvar, sofrendo ferimentos menores na cabeça e lesões das costelas. Kirsty, no entanto, foi atingida pelo barco e morreu instantaneamente.

O barco envolvido no acidente era propriedade do milionário mexicano Guillermo González Nova, dono de uma companhia de hipermercados, que estava a bordo com vários membros de sua família. Um empregado de González Nova, José Cen Yam, alegou ter sido ele o condutor do barco no momento em que ocorreu o acidente, mas vários relatórios publicados incluíram relatos de testemunhas que afirmaram que Cen Yam não estava nos comandos do barco, indicando também que o barco seguia a uma velocidade mais rápida que a velocidade de um nó que Guillermo González Nova havia afirmado. Cen Yam foi considerado culpado de homicídio e foi condenado a 2 anos e 10 meses de prisão. No entanto, ele foi autorizado pela lei mexicana a pagar uma multa de 1.034 pesos (cerca de 63€) em vez de cumprir a pena de prisão. Ele também foi condenado a pagar cerca de 2150 dólares em indemnização à família MacColl, uma quantia baseada em seu salário. Os relatórios publicados incluíram depoimentos de pessoas que falaram com Cen Yam após o acidente e que alegam que Cen Yam terá recebido dinheiro para assumir a culpa pelo incidente.

Ninguém conhecerá kirsty MacCol para além da sua participação naquela que é considerada por muita gente (eu, por exemplo) a melhor música de Natal (e de bebedeiras) de sempre. Também pode ser simplesmente uma das melhores músicas de sempre.
Kirsty MacCol era uma pessoa normal que se viu perante uma situação extraordinária. Correspondeu da melhor forma, foi uma heroína, poucos fariam o que ela fez, mesmo pelos filhos e numa altura em que passam dez anos sobre os acontecimentos trágicos da sua morte não é demais recordar que ainda não foi feita justiça, assim como será importante recordá-la pelo que fez e pelo que perdemos.  Boas Festas!

The Pogues and kirsty MacColl - Fairytale of New York


Nota: A informação presente neste texto foi retirada do artigo da Kirsty MacCol, na Wikipédia

15 comentários:

Pronúncia disse...

Desconhecia completamente o que aqui relatas, mas conheço a música. É um daqueles temas de que gosto bastante e que (também)faz parte da minha banda sonora.

meldevespas disse...

Não conhecia os factos que relatas. Mas perante eles, sim ela foi uma heroina, foi uma mãe...
Quanto à música, para mim ela é efectivamente a mais bela canção de Natal de sempre.

pinguim disse...

Muito bela a canção.
Demasiado feia a história...

Johnny disse...

Concordamos todos, Pronúncia, Mel e Pinguim, somos uma big happy disfuncional family.

Boas festas para vocês.

Petra Pink disse...

Enfim, como pode o vil metal pagar um assassinato nem que tenha sido involuntário....
E sim a música é maravilhosa.... já conhecia.... bjo feliz natal Johnny.

Johnny disse...

Involuntário, talvez, Petra Pink, mas negligente de certeza... e sem assumir responsabilidades o que torna tudo pior. Um beijo e feliz natal de volta para ti também.

Dylan disse...

Feliz natal!
Gosto daquelas músicas tradicionais de Natal norte-americanas interpretadas por Astaire e Tony Bennett mas não consigo ficar indiferente a esta.

Johnny disse...

Também gosto, Dylan, principalmente se tiverem uma Big Band... também gosto do Brian Setzer, que é outro registo, mas com a banda. Mas a melhor é esta pá :)

Helga disse...

Boa escolha. Já conhecia e foi muito bom ouvir de novo. Esta música ganhou sem dúvida um novo significado depois de ler o texto e os acontecimentos nele retratados.

Ficam os votos de um Feliz Natal!

Beijinho :)

Mz disse...

Eu estou a cantar mas tu não me ouves... por isso deixo aqui um beijinho, pronto!

Feliz natal.

Johnny disse...

Helga, obrigadinho e igualmente, claro.

MZ, ainda bem que isto não tem som, não? Anda canta à vontade :)

Beijinhos e boas festas.

Silenciosamente ouvindo... disse...

Um gosto conhecer este blogue.
Bom ano de 2011.
Saudações

Johnny disse...

Obrigado, Silenciosamente ouvindo... e igualmente :) Volte sempre.

Moyle disse...

agora é que vejo que a minha viragem na direcção do heavy metal por alturas do liceu me deixou à margem de muita coisa... goth rules, ok, mas é pena ainda assim.

Johnny disse...

moyle, verdade seja dita que eu também não conheço esta música ( e principalmente a história) desde que "aconteceram". Um gajo vai sempre a tempo.