04/11/2008

O efeito Bradley

O efeito de Bradley refere-se a uma discrepância entre a opinião que as pessoas demonstram nas sondagens relativamente a um candidato e o voto efectivo. É uma teoria que defende a ocorrência de um fenómeno de medo social por parte das pessoas que respondem a inquéritos de sondagem que evitam conotações negativas por responderem no candidato em quem querem de facto votar, dizendo que votam no outro candidato para ficarem "bem vistas". Este efeito está associado, obviameante, a questões de outros fenómenos sociais latentes, como o racismo, e nasceu da explicação de resultados de eleições que opunham um membro de uma minoria a um candidato do grupo maioritário. O caso que deu o nome ao efeito registou-se no Estados-unidos e envolveu a eleição para governador do estado da Califórnia. um candidato negro (Bradley), que em todas as sondagens, inclusivé as sondagens à entrada e à saída das urnas, era apontado como o vencedor da votação, e que acabou por perder essa mesma eleição para um candidato branco.

Hoje não se vai verificar isso... muito! Ainda vai verificar-se, mas o candidato democrata Barack Husein Obama vai vencer porque, apesar de tudo, os Estados Unidos da América estão menos racistas e parolos e os Estados que ainda não deixaram de o ser (nem tão pouco se prevê que o deixem de ser) votam sempre nos republicanos, o que não causará grande impacto, por isso...

Agora, o que é capaz de acontecer é que alguém o mate, e quando digo isto não falo de terroristas ou estrangeiros que se sintam ameaçados por ele, mas sim aqueles parolos e racistas norte-americanos que abundam e que têm acesso facilitado a armas. Também não digo que seja já, mas que o vão matar, ou pelo menos tentar frequentemente, não duvido.

O mundo ficará melhor depois destas eleições... ficará melhor obrigatoriamente porque George Bush vai sair e só pode ficar melhor depois dele, mesmo que seja com o John Mccain (senhor de uma história de vida formidável). Mas o resultado está feito, penso eu, e está muito bem.

(João Freire)

11 comentários:

ipsis verbis disse...

"mesmo que seja com o John Mccain (senhor de uma história de vida formidável)"

Um gajo que nomeia como vice-presidente, uma gaja como a Sarah Palin, é pior que o Bush!
Um gajo que tem o apoio do Shwarzenneger é uma merda.

johny disse...

Eu sou uma excelente pessoa e também já fiz nomeações pouco acertadas, está bem que não foi para a vice-presidência, mas também porque nunca fui presidente. Posso até dizer que tenho amigos que são verdadeiras bestas quadradas. Quanto ao apoio, também já fui apoiado e elogiado por pessoas vizinhas do demónio. Se fosse ao contrário e ele apoiasse o Arnold... Mas mesmo assim, o Arnold nem é dos piores, pois o Estado da Califórnia até um dos mais avançados a nível das liberdades sexuais e tal...
Mas a nível político e militar, John Mccain teve uma vida de algum concenso e coerência, sendo até mal visto pela maioria conservadora do partido Republicano (parece um pleonasmo mas não é). Acredita, ele é boa pessoa. Está bem que a nível pessoal não foi grande pistola, mas isso explica-se pelos problemas que teve quando era mais novo e estar cinco anos numa prisão vietnamita dá a volta à cabeça de qualquer um.

ipsis verbis disse...

"Eu sou uma excelente pessoa e também já fiz nomeações pouco acertadas, está bem que não foi para a vice-presidência"

Lá está. Não foi para a presidência.

"Posso até dizer que tenho amigos que são verdadeiras bestas quadradas."

Mas trabalhar com bestas quadradas, mesmo que sejam amigos, dá merda. Toda a gente sabe disso. Há que escolher, imparcialmente, a melhor pessoa para o cargo/função a desempenhar.
Algo me diz que a nomeação para vice-presidente de Mc Cain, (falo na pessoa singular aqui, mas sei que por detrás dele está toda uma "equipa" que fez isso por ele) foi mais para encher a vista. E só o facto de ser mulher já ajudava.

"Mas mesmo assim, o Arnold nem é dos piores, pois o Estado da Califórnia até um dos mais avançados a nível das liberdades sexuais e tal..."

Mas ainda com pena de morte...

"Está bem que a nível pessoal não foi grande pistola, mas isso explica-se pelos problemas que teve quando era mais novo e estar cinco anos numa prisão vietnamita dá a volta à cabeça de qualquer um."

FDX! e queriam pôr um gajo destes à frente de um país?!

johny disse...

Eu gosto dele, apesar de não concordar com essa escolha (vice-presidência) ou outras. Apenas referi que seria melhor do que o Bush, não do que o Obama, e que tem, de facto, uma história de vida formidável.

Por exemplo, para além do célebre cativeiro e da coragem demonstrada ao não deixar que o libertassem antes de libertarem os companheiros, este homem viveu uma das piores catástrofes navais da história quando o seu avião foi atingido acidentalmente a bordo de um porta-aviões, incendiando outros aviões que viriam a explodir, matando perto de 200 pessoas. No meio das explosõe, vê-se um Mccain a saltar do seu avião em chamas, para ajudar os comapnheiro, vendo-se atirado por uma explosão que o deixou inconsciente.

Isto pode ver-se no youtube ao procurar-se forrestal ou john mccain survives aircraft explosion.

Eu gosto dele!

ipsis verbis disse...

Está bem. Não me batas mais! E já sei que se vir o vídeo vou gostar dele também e ainda bem.

johny disse...

Victory is mine... or is it?

ipsis verbis disse...

Vi um vídeo. Mas achei-o um pouco parcial. O gajo saltou do avião é certo. Mas, acredito que foi para se salvar a ele próprio.
As intenções, não passam disso mesmo, intenções.
E é claro que quando um gajo destes, com uma história de vida destas, se torna num dos candidatos à Casa Branca, muitos elogios, e muitos pontos são acrescentados à sua história.

Mas é um grande homem, não tenho dúvidas disso. Agora.

"Em 26 de Outubro de 1967, quando tinha 31 anos e executava a sua missão número 23, o seu avião, um A-4 Skyhawk, foi derrubado por uma anti-aérea sobre Hanói, aterrando de emergência no lago Truc Bach. Devido ao impacto McCain ficou ferido nas duas pernas e com um braço em muito mau estado. Estando inconsciente, foi rodeado por uma tropa norte-vietnamita, que o maltratou com golpes e pontapés, e lhe retirou as roupas, sendo depois de capturado torturado mais vezes pelos soldados, de tal modo que o seu pé esquerdo foi ferido com uma baioneta e o seu ombro foi deslocado com a culatra de uma espingarda. Foi trasladado para a prisão de Hoa Lo, também conhecida como "Hanoi Hilton".

Chegado a "Hanoi Hilton", foi colocado numa cela e interrogado diariamente. Quando se recusou a dar qualquer tipo de informação aos seus captores, foi golpeado até à inconsciência."

johny disse...

claro que ele saltou para se salvar a ele próprio, porque estava em chamas, mas depois ainda tentou ajudar alguém, tendo sido impedidode o fazer pela explosão de um míssil de um dos aviões. Sobre a queda do avião, não ficou apenas em "mau-estado", ficou com duas pernas partidas e um braço e depois não foi apenas "mal-tratado", foi golpeado 8até com uma baioneta no ombro) pelos civis e militares enquanto era transportado para fora do lago onde aterrou ficando à beira da morte. Durante a estadia no tal "Hilton", passou a maior parte do tempo na solitária recebendo tratamentos mínimos, chegando a pesar quarenta e poucos quilos. A tortura era constante e durou cinco anos. Quem passa por isto tudo, mesmo que tenha ficado f?did@ da cabeça, é um herói, ainda para mais, sempre esteve contra algumas das políticas mais conservadoras dos republicanos, criando diligâncias na regulação dos donativos para as campanhas políticas, só por exemplo, e esteve muitas vezes ao lado do democrata Bill Clinton em inúmeras votações.

ipsis verbis disse...

"mas depois ainda tentou ajudar alguém"

Quem é que disse isso? O que é que quer dizer "tentar"?

Do tempo que ele salta do avião até à explosão passam apenas uns segundos.
Alguém o viu pegar em alguém antes da explosão que o atirou 10 metros pelo ar?
Claro que não. Assim que o gajo salta, e como salta e para onde salta, seria impossível levantar-se a seguir. (Como dizem no documentário)
Não. Aqui ele apenas se tentou salvar.

Mas é um herói por todas outras coisas que fez. Isso é.

johny disse...

Na realidade eles dizem que se voltou (he turned), tipo apagou as chamas e voltou-se para o fogo, andando à procura de um colega, e depois houve a explosão. Pode-se acreditar ou não, mas lá em hanoi também recusou salvar-se antes dos outros prisioneiros, e aí eles atestam, o que indicia algum altruismo,e, logo, maior probabilidade daquele "he turned to help a fellow pilot" ser verdadeiro e, quem sabe, verídico!

ipsis verbis disse...

Está bem, pronto. :)