19/09/2008

De ligações



Sinto-me um enorme magnete.
Atraio toda a gente.
Bons e maus.
Todos.
(Apaixono-me com essa mesma facilidade)
No final do dia, sento-me a escolher quem interessa.
Às vezes, cansada de tanta atracção, deixo que cada um caia por si com o passar do tempo.
Na verdade é mais fácil assim. Mas eu sempre detestei o incontrolável.

4 comentários:

johny disse...

O problema das mulheres é o de terem sempre muita escolha, muitas possibilidades... o que, aliás, se transforma no problema dos homens.

Por entre o luar disse...

=) ainda bem que assim é;) ~quem não interessa acaba sempre por desaparecer...

Beijinho* bom post=)

ipsis verbis disse...

As mulheres têm muita escolha? Nada disso.
Um dos nossos problemas, e agora vou generalizar, é escolhermos muito por entre o pouco que há. Tipo fim de saldos no "tudo ao molho".
E por acaso temos cada vez menos, já que cada vez mais está na moda ser-se gay.
De repente todos os gajos que conheço gostam de gajos. Not fair!

Obrigada "por entre o luar".

johny disse...

Têm escolha no sentido de poderem recusar mais do que os homens. Em média, mais homens se dedicam às mulheres o que provoca nelas um sentimento de poder, do tipo: "se estão sempre a vir, há-de aparecer melhor". também é verdade com os homens, mas é mais verdade com as mulheres.