21/05/2008

E aquilo que parecia uma boa ideia...

O estacionamento exclusivo para mulheres, no centro comercial 8.ª Avenida, em S. João da Madeira, continua a provocar contestação. Depois dos reparos de muitos cidadãos, foi a vez da Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género (CIG) considerar que esses lugares (quatro), mais largos e pintados de cor-de-rosa, representam uma atitude "discriminatória". Esta posição aconteceu em consequência de uma denúncia do Bloco de Esquerda (BE). Em Novembro, um mês após a abertura do 8.ª Avenida e de o JN ter noticiado os espaços exclusivos para mulheres, o BE apresentou uma queixa à CIG por considerar que a iniciativa "atrasa o direito à igualdade". A CIG diz agora que "partilha e subscreve o protesto", por entender "inteiramente justificada e discriminatória a reserva de lugares de estacionamento para veículos conduzidos só por mulheres". Ainda segundo o mesmo documento, a disponibilidade do estacionamento exclusivo para as mulheres revela-se "atentatória da promoção de uma efectiva igualdade entre homens e mulheres e dos direitos da pessoa humana". As críticas estendem-se ao "subjacente estereótipo de género de que as mulheres são menos capazes, também a conduzir e a estacionar (...) subalternizando-se desta forma as mulheres e as suas capacidades e interesses". São, ainda, lançadas dúvidas sobre a legalidade da criação daquele tipo de estacionamento,"nomeadamente, quanto à sua conformidade com os regimes legais de licenciamento e condições de utilização dos parques de estacionamento, bem como da reserva e sinalização de lugares admitida dos mesmos" diz a CIG. A CIG adianta que irá informar a Sonae Sierra, proprietária do 8.ª Avenida, e o presidente da Câmara de S. João da Madeira, recomendando que ambos tomem "as diligências possíveis para acabar com esta situação." O responsável pela superfície comercial, José Duarte Glória, justificou, na altura, ao JN, que se trata apenas de uma "gentileza" para com as clientes. "Queremos que as senhoras e outros clientes se sintam bem no centro comercial", explicou.

in jn.sapo.pt


Reaproveitado para o tema de Janeiro de 2011, Preconceito, num desafio da "Fábrica de Letras".

8 comentários:

ipsis verbis disse...

Isto só pode ser a brincar!

Tulipa Negra disse...

Engraçado, aqui onde vivo há alguns parques de estacionamento subterrâneos onde existem lugares exclusivos para mulheres. Mas não são mais largos nem estão pintados de cor-de-rosa! Simplesmente situam-se mais perto da porta de acesso de peões e a única questão que se coloca é a segurança, nada mais. Pareque que estacionando mais perto da porta é mais fácil fugir de um agressor (normalmente, masculino) ou pedir ajuda. Obviamente, as mulheres podem estacionar onde bem entenderem, mas os homens não podem estacionar nesses lugares - pelo menos, se alguém os vir! :)

Johnny disse...

Tchii, Tulipa, mas que grande discriminação essa!

B disse...

Que anedota... Cum catano...

Johnny disse...

Truth is stranger than fiction, B. Alguma senhoras se calhar até aplaudiram... mas é ainda assim uma parvoíce.

Johnny disse...

Ou foi, não sei se ainda se mantém, porque esta notícia já é velhota.

Mz disse...

Para mim é novidade este tipo de estacionamento e digo já que sou contra!!!
Nem que tenha de arranhar a porta do vizinho eu estaciono sem previlégios.

Johnny disse...

E se tivesse tudo cheio e só aquele estivesse vago, mesmo ao lado da porta?