21/09/2011

Youth is wasted on the young... wealth is wasted on the old



Acredito que caminhamos para melhor. Nascemos boas pessoas, morremos boas pessoas. Pelo meio somos péssimas pessoas. Claro que os bebés também são péssimas pessoas, assim como os velhos, mas tanto uns como os outros têm desculpa: os primeiros porque não têm capacidade de decisão e os segundos porque garantiram ao longo da vida o direito a sê-lo - afinal, a velhice é um posto. Já os adultos, não têm desculpa, são péssimas pessoas não tanto por tomarem decisões erradas mas mais por não as tomarem. Porquê? Dúvidas e certezas. Ambas nos falham. As dúvidas paralisam-nos, as certezas acomodam-nos. Alienados ou viciados... entorpecidos pela e para a vida, conformismo na altura em que se abririam mais possibilidades. Conformando-se, os adultos tornam-se amargos e invejosos. Por isso são más pessoas! Há sempre espaço para melhorar, muito desse espaço depende da capacidade de tentar e falhar, ou seja, de escolher. Ninguém acerta sempre, ninguém erra sempre, temos sobretudo de arriscar. No fim, logo se verá.



*A citação foi ouvida e vista na entrevista de Jools Holland, no seu programa Later with Jools holland, com Eddie Vedder e Mike McCready, dos Pearl Jam. Traduzida, ficará "a juventude é desperdiçada nos jovens... a riqueza é desperdiçada nos velhos."

10 comentários:

Por entre o luar disse...

Dos melhores :) Gostei da reflexão ... *

Brown Eyes disse...

Viver nunca é fácil mas há que viver porque errar é humano e saber emendar os erros é apanágio dos inteligentes. Não agir? É cobardia. Beijinhos

Johnny disse...

por entre o luar, obrigadinho.

Mary... é isso mesmo: não ter medo de fazer m...!

Moyle disse...

eu gostava que me acusassem de ser amargo. a sério que gostava.

Fê-blue bird disse...

Eu 100% de acordo com a Brown Eyes.
Viver é correr riscos!

beijinhos

Johnny disse...

Moyle, costumas se acusado de ser um doce, é?

Fê-blue bird, independentemente das consequências, para podermos dizer "confesso que vivi".

Maria disse...

ora aqui estáum tema que anda a atorentar-me. vou pensar para o canto.

Moyle disse...

também não, mas é um daqueles insultos muitas vezes reservados para quem diz a verdade independentemente das conveniências e sensibilidades alheias...

Mz disse...

Nunca é demais reflectirmos sobre o que somos desde o nascimento até à morte, contudo, não se pode generalizar nem dar títulos de santos a pessoas apenas por terem chegado a uma idade avançada.
Os bébes, os bébés são inocentes mesmo deixando transparecer já alguma personalidade na sua própria tenra idade... serão sempre inocentes e bons mesmo pondo os pais de nervos em franja :)
Agora os velhinhos...os velhinhos são pessoas... continuando a ser adultos com um estatuto mais delicado apenas pela sua fragilidade física. Com um longo caminho percorrido deixando para trás atitudes. Atitudes de boa fé, atitudes de valor e também algumas nem sempre coerentes e até muitas delas efectivamente graves.
Os Velhos,carregam todos as virtudes e todas as maldades. São enciclopédias vivas se a memória não lhes falhar, são livros abertos de histórias e vivências, são conselheiros bons ou maus... dependendo do seu caminho percorrido e da sua ética e forma de estar na vida. As suas rugas e os seus cabelos brancos transmitem afecto e bondade, mas alguns serão apenas ilusão de todo este conceito.

Esta é a minha reflexão muito em cima do joelho... amanhã talvez me arrependa do que aqui escrevi e veja as coisas de forma diferente. Afinal sou apenas uma mulher adulta com todas as incertezas, falível, mas com vontade de melhorar sempre!

Bjnhs

Johnny disse...

Maria, arrisca e não te arrependas de nada!

Moyle, eu já perdi a vergonha :)

MZ, as generalizações desculpam-se na medida em que possibilitam algumas introspecções. Antes de estas dissertações resolverem algo na minha cabeça, só ajudam a aflorar as minhas dúvidas. Pensando nelas, posso tomar melhores decisões... Claro que nem sempre acontece :)
Tenho o hábito de desculpar mais os velhos do que os menos velhos por uma questão de carreia contributiva... dou-lhes um desconto, por respeito. Claro que também há velhos que são bestas e criminosos, etc, etc... mas generalizando, merecem o respeito. Qualquer velho sabe mais do que o próprio velho quando era mais novo. Mesmo que seja só por isso, já é melhor pessoa :)
A conclusão que pretendo chegar acaba por ser a mesma a que tu chegaste, que é a de que independentemente da idade, devemos sempre tentar melhorar e até, como alguém dizia, tentarmos ser sempre melhores do que nós próprios em vez de tentarmos ser melhores do que alguém.

Beijinhos para todos.