15/02/2011

A loucura dos loucos



A loucura de que os loucos falam não é a mesma de que outros falam habitualmente. A loucura de que eles falam nem se fala, propriamente… sente-se. Nós, os que não somos loucos, falamos de uma loucura saudável, que nos influencia, mas não nos controla, mas a loucura não é nada disso. A loucura é um peso que esmaga e atemoriza através de um ruído, uma imagem ou um toque, é uma confusão constante impregnada de medo, um ímpeto descontrolado que nos leva ao nosso pior, é o não saber, não querer e não se importar... é o não sentir, sentindo tudo. É a dor. Só anseia pela loucura quem nunca a experimentou e essa é a nossa loucura.


Right Where It Belongs - Nine Inch Nails


Para o tema de Fevereiro de 2011, Loucura, num desafio da "Fábrica de Letras".

17 comentários:

M disse...

A loucura. Saberemos algum dia onde começa? Até onde pode ir? Com quantas coisas se confunde (coragem, maldade, impulsividade)?

Brown Eyes disse...

johnny johnny essa loucura está tão bem descrita que temi pelo pior.:)
Adorei a tua loucura

Vita C disse...

a loucura nem sempre roça a genialidade, ao contrário do que muitas vezes pensamos e é isso que nos confunde.
a verdadeira loucura não nos é alcançável, não a escolhemos, somos parasitados por ela, destruídos por ela. quaisquer efeitos artísticos ou belos são apenas efeitos secundários que em nada minimizam esse esmagamento que referes. loucura é sofrimento, porque nos isola, porque nos retém, porque nos afasta do outro.
tudo o resto são formas mínimas de extravagância, mas nao de loucura.

Moyle disse...

Minha loucura, outros que me a tomem
Com o que nela ia.
Sem a loucura que é o homem
Mais que a besta sadia,
Cadáver adiado que procria?

Fernando Pessoa, in Mensagem

(fica sempre bem uma citaçãozinha. era esta ou a do abismo, do Nietzsche, mas como hoje é quarta feira, fica assim)

Mz disse...

Um louco nesta tua perspectiva, não sei se terá consciência da sua loucura.

Johnny disse...

M, não.

Mary, não, não, não me estava a auto-diagnosticar :)

VitaC, era essa perspectiva mais negativa da loucura que eu queria enfatizar.

Moyle, O fernandinho era a verdadeira loucura, com o que de mau ela tem. Lidou realtivamente bem com ela, criando os heterónimos.

Mz, os verdadeiros não têm... quase de certeza, digo eu, mas pode haver uma fase em que tudo está nublado e haver uma certa dose de consciência, mas, havendo essa consciência, será a pior forma de loucura!

Tulipa Negra disse...

Desta loucura patológica não gosto, precisamente pelo sofrimento que implica no louco e nos que o rodeiam. Mas gosto da outra, daquela a que chamamos loucura só porque é diferente do considerado normal, podendo ser apenas extravagância ou qualquer outra coisa. Beijinhos

B disse...

Ui... doeu-me... Eu que, em vários blogs onde há postagens acerca deste tema, e neste blog também, afirmei invejar um pouco a loucura incontrolável e espontânea dos loucos que "vêem mais do que nós"... Sinto-me envergonhada...

Johnny disse...

Tulipa, gostamos todos :)

B, só me lembrei de alguém que passe ou conheça alguém que passe por esta 'loucura patológica' a ouvir falar da outra loucura de que todos nós falamos de vez em quando... acho que convém lembrar-mo-nos deles, mas sem sentir vergonha de querermos a outra, desde que bem decifrada :)

soninha disse...

Cabe aqui várias elocubrações filosóficas.Será mesmo que é o louco quem se isola ou será que o isolam?Haverá dor na loucura ou apenas abstração de si mesmo como uma inércia passiva?...e...abçs.

Johnny disse...

Soninha, primeiro, antes ainda de agradecer a sua passagem por este espaço, importa dizer que elocubrações é uma palavra muito bonita :) Quanto ao resto, acho que haverá dor, sim, alguma menos consciente, outra consciente, mas dor... alguma até física!

Pronúncia disse...

Faço-me muitas vezes a pergunta "será que os loucos têm consciência da sua própria loucura?!... espero sinceramente que não tenham...

Bom fim de semana :)

Johnny disse...

Pronúncia, tal como os não loucos terão consciência dos seus momentos de loucura, também os loucos terão momentos de consciência em que reconhecem o seu estado alterado. Da mesma foram, haverá vários estádios de insanidade, uns mais perto da realidade e da consciência e outros mais afastados.

Um óptimo fim-de-semana para ti também.

pinguim disse...

Os verdadeiros loucos intimidam-nos por vezes.
Mas pior são os que se fazem passar por loucos: desses tenho mesmo medo!

Johnny disse...

Pinguim, não conheço... felizmente... eu é mais de palhaços!

otário disse...

loucura do desconhecido...
loucura do vulgar...
hum... terá a loucura
algo a haver com a experiência?

saudações!

Johnny disse...

Terá certamente... enganos motivados pelas polissemia :)