23/01/2011

Fernando Nobre

No programa "Grandes Portugueses" ficou em 25º lugar. Dos vivos, não sei se inclua Mário Soares, só Mourinho, Pinto da Costa e Eusébio ficaram à frente. Nenhum destes se candidatou. Todos reconhecemos o seu trabalho à frente da AMI (Assistência Médica Internacional), a sua coragem, o seu carácter e a sua frontalidade. Sendo assim, uma vez que tivemos a oportunidade de eleger um grande cidadão para Presidente da República, porque é que não o fizemos?
Há uma onda de vozes que se ouve a gritar por políticos novos, por pessoas novas fora das esferas partidárias e dos interesses económicos, mas quando surge a oportunidade de fazer alguma coisa por isso ninguém faz nada. Grita-se por revolução, mas é um grito inócuo, um grito vazio que tem por objectivo o nada. É a revolução pela revolução. Sem ideias nem ideais não há revolução que aguente. Para mim faz sentido uma revolução se for para meter lá pessoas como o Fernando Nobre.
Fernando nobre andava perdido na campanha, Fernando Nobre não sabia falar... Fernando Nobre era mais um. Não era assim.
Fernando Nobre cometeu erros nesta campanha, acho até que nem se fez acompanhar das melhores pessoas, não sabendo capitalizar a enorme vontade de mudança nos discursos, debates e nas suas aparições políticas. Fosse eu a escrever-lhe os discursos e ganhava... mais uma décima ou outra percentual pelo menos. Poder-se-á dizer que cometeu erros de táctica política, tentando combater no meio do lodo em que os outros se embrenhavam quando toda a gente o queria ver distanciado dessa luta, mas uma coisa são erros de formas de fazer política, outra completamente diferente são as pessoas. Numa eleição pessoal o que deve contar, ainda mais do que as ideias porque essas têm de ser conjunturais, é a pessoa e das 6 que havia para escolher a melhor era Fernando Nobre. Não concordo com muita coisa no sistema político português, até já explorei muitas dessas coisas com as quais não concordo por aqui, mas tenho a certeza absoluta que Portugal ficaria melhor com Fernando nobre num cargo político, fosse ele o cargo de Presidente ou de Primeiro-Ministro. Foi uma oportunidade perdida.  

(João Freire)

António Pinho Vargas - Dança dos Pássaros

21 comentários:

Cirrus disse...

Completamente de acordo, Johnny!

Dylan disse...

Acho que lhe faltava experiência.

Moyle disse...

amen

El Matador disse...

Esta campanha foi muito apalhaçada; os ataques políticos baseados na vida privada do outro senhor só o beneficiaram. Ele fez papel de vítima inocente, e o povo comprou.

Este povo não tem memória, é por isso que cinco anos passam depressa.

meldevespas disse...

Desta vez estou em plena concordância contigo! Até porque olhando as coisas assim mais a frio (o que no dia de hoje, confesso ser dificil, porque sempre me custou engolir a estupidez e o conformismo), ele era o único que tinha, que tem, trabalho cívico provado e comprovado, no meio desta filha de putice toda. Talvez tenha sido demasiado ingénuo na abordagem à campanha, nos apoios grangeados (ou não), sei lá...
A malta é branda, e gosta de ser digamos...sodomizada :DD

Vita C disse...

Eu, que gosto de ser coerente, acho que há uma diferença entre jogar para ganhar, como ele deveria ter feito, e jogar para ir à 2a volta. E isso não é jogar para ganhar, até porque essa era a conversa de toda a restante milícia anti-cavaquista. Acho que Nobre foi ingénuo e mal interpretado. Tenho pena, muita pena, mas ele poderia, e ate deveria, ter tido mais habilidade, lá por ser "de fora" não se pode esquecer que ser PR é um cargo político. Tanto se quis demarcar que acabou por perder sentido... e votos.

Johnny disse...

Cirrus, glad to know.

Dylan, acho que faltava era alguém que escrevesse melhor os discursos... ele até tinha uma mensagem, mas perdeu-se.

Moyle, por onde c... é que andaste?

El Matador, para mim não é uma questão de memória, do passado, é uma questão do que ele é e eles são agora. O Cavaco tem cara de quem lhe pedem para ir buscar um pacote de açúcar à mercearia e ele traz arroz.

Mel, desta vez? Mais uma vez, acho que não é ingenuidade... ou é, mas eu dou-lhe outro nome: falta de preparação sua e da sua equipa.

Vita C, duvido que haja muita gente que goste de ser incoerente :) Quanto ao resto, concordo principalmente com a má-interpretação e com a necessidade de mais habilidade, relativamente ao demarcar-se, eu acho que ele fez foi o contrário, tentando aproximar-se do nível político no qual, claramente, não se sentia à vontade e perdeu. Devia era ter-se demarcado mais.

Eu continuo a dizer... se fosse eu a escrever os discursos (e pediria ajuda a alguns bloggers conhecidos, claro)... mas nunca saberemos.

pinguim disse...

Eu não votei nele, porque embora reconhecendo ser uma personalidade importante na vida portuguesa pelo seu percurso como cidadão, não o vi nunca com o perfil necessário para ser um bom PR.
A sua campanha foi fraca, muito fraca mesma, e uma candidatura como a dele, da cidadania mereceria uma outra pessoa, mais aguerrida, com mais ideias, mais interventiva.
Mas a génese de um futuro PR apartidário, pode ter começado agora!

Johnny disse...

Pinguim, esse é precisamente o raciocínio que eu não entendo. Se é "uma personalidade importante na vida portuguesa pelo percurso como cidadão" que perfil é preciso, ou então, qual dos seis seria melhor do que ele? Isso do perfil e das campanhas são, para mim, coisas secundárias que têm pouco a ver com o que é importante e mais a ver com Relações Públicas. Eu concordo com o que disseste e que citei aqui e para mim isso incorpora o perfil que devemos procurar num candidato a uma função pública.

(lamento discordar, mas faço-o respeitosamente)

Juana disse...

sempre simpatizei muito com a figura por ser o humanista que é, mas sinceramente desapontou-me muito a história do "querem silenciar-me..." por causa da mania da perseguição, acabou por dar um tiro no próprio pé.

Johnny disse...

Cometeu mais erros do que esse, mas... even so... continuou a ser o melhor candidato para mim.

Mz disse...

Não creio que o Fernando Nobre tenha alguma vez perfil para 1º ministro. Para PR sim...Olha, ainda bem que não lhe escreveste os discursos.

Moyle disse...

por aí... :(

Johnny disse...

MZ, isso do perfil.... Mas porque é que "ainda bem" que eu não lhe escrevi os discursos?

Moyle, às escondidas, a espreitar nas janelas, perdido nas avenidas e achado nas vielas?

Mz disse...

Estava só a meter-me contigo!
:)

Johnny disse...

Mulheres... pfft!

Moyle disse...

ahahah

pipi das meias altas disse...

Já cá faltavam as borboletas :)

Johnny disse...

pipi das meias altas, é vArdade :)

Mais que não seja, sempre dão um bocado de cor.

Brown Eyes disse...

Ficaria mas, como sempre, os portugueses criticam, critam e acabam por votar no lixo. QWue fazer? Não se consegue abrir um cerebro e fazê-lo pensar. Nós pagaremos, sempre, a falta de coerência deste povo e o medo a apostar na mudança. Eles gostam de corrupção e de corruptos, que fazer?

Johnny disse...

A culpa é de todos, Mary, até de mim, que não fiz mais gente votar no meu candidato, mas quem votou naqueles que habitualmente critica é que é de estranhar e esses é que irritam um bocadinho mais.