29/12/2009

A menina dos olhos vermelhos

E havia nela uma tristeza terna e outonal. Sorria como se lutasse para não chorar, chorava sempre que ninguém a via. Não tinha uma razão. Se pensasse muito nisso, talvez encontrasse uma, mas todo o raciocínio se perdia no primeiro sal de uma lágrima. Quando estava só, quando se deitava, quando acordava e ouvia a chuva a escorrer, quando tinha frio, quando visitava a sua aldeia de infância, quando ouvia um velho falar… sempre os olhos vermelhos, cavados fundo na cara e pesados. Lera nalgum lado que “o problema da felicidade é que toda a gente a merece” e guardava essa frase na sua cabeça como uma máxima que fazia todo o sentido em si. Todos merecemos, mas nem todos a conseguimos, pensava, o sofrimento advém da dúvida de não sabermos se vamos ser uns ou outros. Somos tristes, pobres… falta-nos sempre algo, nem que tenhamos de procurar à força esse algo para nos sentirmos infelizes, pois também não há bem que sempre dure e sorrir sempre deve ser difícil, imaginava ainda no preâmbulo de uma nova lágrima.
E toda ela era olhos vermelhos, olhos vermelhos que se aproximavam das pessoas como se procurassem algo e tivessem em si a tristeza da perda. E procurava: procurava nas outras pessoas a compreensão… enfim, que chorassem como ela. Procurava então os olhos vermelhos, pois para ela só quem chora poderá sentir.

Ornatos Violeta - Chuva



 (João Freire)

10 comentários:

por entre o luar disse...

Afinal foste embora e eu nem choreii.. mas apesar de não ter chorado senti o texto e gostei * ^^

BeijinhoO

meldevespas disse...

A tua menina é um bocadinho de mim...também sou de lágrima fácil...mas prontoS, por norma não é tristeza, apenas me emociono acima da conta.
Deixemos isso. ela é também um bom bocado da humanidade, que se procura nos outros porque não se vê em si mesma, que chora com pena de si mesma porque ao menos assim sente, sente-se.
Mais uma vez Joãozinho, um belo texto.
Beijinhos grandes e se não nos "virmos" mais um bom 2010 pra ti.

johnny disse...

Por entre o luar, o que é preciso é sentir, como, aliás, pensa a menina dos olhos vermelhos.

Obrigado, Mel. É um pouco de toda a gente, é, pelo menos da gente que vale a pena e sente alguma coisa.

Brown Eyes disse...

É a emoção à flor da pele, a menina de olhos vermelhos. Passa com a experiência, como dizes não há mal que sempre dure.... A vida ensina-nos a dissimular os sentimentos é que, depois, há quem se aproveite de quem é demasiado sentimental. Hoje é mais fácil comover-me e chorar com o problema de alguém do que com os meus. Tudo tem solução e não é o chorar em público que resolve, nem em privado. Há quem o faça para que tenham pena e acabem por ajudar. Para mim pena quer quem não confia nela ou quem quer viver de ajudas, com facilidade. Não é o meu caso. A vida endurece-nos, ensina-nos a dissimular os nossos sentimentos mais profundos, ensina-nos a conhecer as lágrimas que vemos. Claro que não é tudo linear mas, eu, enfrento o touro pelos cornos, seja meu ou do vizinho. Chorar, ver correr as lágrimas não é sinal de sentimento johnny. Quantas lágrimas são fingidas? Há muito bons actores por aí. A tua menina é inocente, disso não tenho dúvidas, aprenderá.
Beijinhos

Ana GG disse...

Só quem chora poderá sentir...
Só quem ri poderá sentir...

Não é um comentário profundo, confesso que tentei mas não consegui. É que os sentimentos são assim...tão simples!

pinguim disse...

Ai de quem não sabe chorar...
Abraço.

Vita C disse...

Começo pela banda sonora. A Chuva, precedida pela Esfera, das letras mais simples e tocantes que me recordo na música portuguesa, ainda que eu seja uma eterna suspeita violeta.
E a menina dos olhos vermelhos sem encontrar uma razão, sabendo apenas que sente e almeja a felicidade. Temos muitas vezes os olhos da alma vermelhos, ainda que a maior parte do tempo tentemos ver com os olhos que se adaptam ao jogo de luzes e sombras do resto do mundo. Externo, público. E para nós fica a intimidade dos olhos vermelhos, o sal que queima e arde. Apenas porque sim. E talvez nem isso.

johnny disse...

Sim, Mary Brown, crescerá, aprenderá e (atrevo-me a dizer) ficará mais cínica.

Beijinhos.

johnny disse...

Esse também é um problema Pinguim. É que há gente que não sabe ou consegue chorar.

Abraço.

johnny disse...

Obrigado pela visita Vita C, apesar da impressão negativa que tenho das ruivas (isto é uma boca a outra comentadora que anda por aí desaparecida), concordo com a tua apreciação da música, da banda e da menina dos olhos vermelhos, até porque, pela escrita, até podia ser uma continuação do texto :) Muito bem, volta sempre.

Beijinho.