13/04/2009

A Páscoa

O objectivo da sociedade de consumo é transformar todos os dias, desde aqueles em que há alguma celebração, como a Páscoa, o Carnaval... ou mesmo o dia de finados, até aos outros dias do ano em que não se celebra nada, num sucedâneo mercantilista do Natal. E está a consegui-lo.

9 comentários:

ipsis verbis disse...

o que é uma merda. pois assim há sempre quem tenha que trabalhar nesses dias! ainda me lembro do tempo em que na aldeia estava tudo fechado ao domingo, e as compras para esse dia eram feitas nos dias antes...

afectado disse...

eu no que diz respeito à religião pouco ou nada ligo à Páscoa apesar da minha família ligar. mas de resto até gosto. gosto no sentido que é mais um pretexto para a família se juntar o dia todo. não toda que devido ao tamanho da mesma isso não seria nada fácil, mas uma boa parte. almoça-se em conjunto, janta-se em conjunto, conversa-se e convive-se mais de 12 horas seguidas. é bom e gosto. quanto a consumo, bem, almoçou-se cabrito e comeu-se pão de ló, pudim, e outras coisas feitas em casa. ao jantar, quem ainda tem espaço no estômago come o que sobrou do almoço. oferecem-se amêndoas ou um ovo de chocolate aos mais novos. não sei como é nas outras famílias, mas tendo em conta os prós e contras relativamente à minha de um dia assim, eu sou claramente a favor do mesmo.

afectado disse...

ah, faltou dizer o que queria dizer sobre o que disseste :)

é que não me parece que um dia assim seja consumista. repito: tendo em conta como se passou na minha família.

johnny disse...

Para além de teres de trabalhar, tens uma afilhada, que, à falta de melhor, teve de se contentar com o outro padrinho, o qual teve de compensar com mais dinheiro o facto da madrinha não estar... e assim conquistar o amor avuncular.

Pois, afectado, é porque não tens afilhados! Mas, mesmo sem afilhados, nota-se que tentam criar e vender mais produtos de época... e as pessoas até dizem boas festas - juro que mais do que duas pessoas me disse isso - tal como no Natal.

johnny disse...

E a parte da família reunida - e da comida - também é muito boa.

Moyle disse...

eu também já tirei a pinta a esses gajos mas comigo lixam-se que nem que chovam gatos vestidos de magnum amêndoas me apanham a pendurar estrelinhas na Páscoa.

johnny disse...

E eu que ia dizer que só quando choverem gatos vestidos de magnum amêndoas é que me apanham a pendurar estrelinhas na Páscoa!

cccp disse...

O problema das coisas em tornarem-se em fenómenos consumistas também depende das pessoas e no sentido em que as ditas coisas se estão a tornar há alguns anos a esta parte. Não será suficiente a oferta do(s) bolo(s) tradicional a amigos e familiares? Quem nos manda inventar e seguir políticas consumistas de outras paragens?
Qualquer dia será difícil distinguir qualquer quadra festiva, visto qualquer uma delas chegar com muito tempo de antecipação. E porquê incentivar tal política?
Cabe às famílias novamente dar sentido à sua existência (família e quadra festiva)

johnny disse...

Mas é que isto está muito bem feito. Por exemplo, que criança consegue resistir ao apelo do consumismo? E, depois, caída a criança no engodo do consumismo, qual é o pai ou padrinho ou avô que consegue dizer não a uma criança? Até podem conseguir dizê-lo uma vez, mas repetidamente? Já ouviram um "não" daqueles... um não chorado que enternece qualquer ouvido? E há crianças que sabem usar essa e outras artimanhas muito bem. isto está feito para elas e está muito bem feito nesse sentido. Temo que seja inevitável, mas como em tudo ha que lutar nas nossas casas, com as nossas crianças... connosco!