26/10/2010

Hullabaloo booboom horsheshit

"Ainda assim, pergunto eu, para que serviu tudo isto? (...) Reconheço que sou um fanfarrão, mas não é disso que se trata, porque afinal de contas o que é que ganhei com todas estas proezas, pois como diz o pregador: «Vaidade das vaidades... tudo é vaidade.» Uma pessoa mata-se para chegar à sepultura. Sobretudo, matamo-nos para chegar à sepultura antes mesmo de morrermos, e o nome dessa sepultura é «sucesso», o nome dessa sepultura é lufa-lufa bumbum patacoadas."

"Still I say, what means it? (...) I admit I'm a braggart, but I'm not calling it thus because what was the use of it all anyway, for as the Preacher sayeth: "Vanity of vanities . . . all is vanity." You kill yourself to get to the grave. Especially you kill yourself to get to the grave before you even die, and the name of that grave is "success," the name of that grave is hullaballoo boomboom horseshit."

Jack Kerouac, Duluoz, o vaidoso (Vanity of Duluoz)

22 comentários:

Brown Eyes disse...

"Ainda assim, pergunto eu, para que serviu tudo isto?"
Já respondi a essa pergunta que fiz há uns anos atrás a mim mesma: Nada
Afinal o fim é a sepultura, há que gastar energia em coisas úteis. O sucesso é aquilo a que eu dou valor e que pode não ser o mesmo a que os outros dão por isso, afinal para que serve tudo isto? Beijinhos

Johnny disse...

As últimas três palavras da citação resumem bem o que eu acho :)

Lala disse...

só existem 2 dias na vida em que não podemos fazer nada... um chama-se "Ontem" o outro chama-se "Amanhã"... Portanto, "Hoje" é o dia certo para: hullaballoo boomboom horseshit!

meldevespas disse...

Há uma certa vaidade que é inerente à condição humana eu acho. Assim uma coisinha que moi e que podendo ser boa, nos tolhe os movimentos e nos condiciona a existência. Parece-me que apesar do blá blá blá que todos sabemos de cor e salteado, é inevitável essa nódoa.

Moyle disse...

oh boy...

Johnny disse...

Lala, e depois de amanhã o amanhã já será ontem.

Mel, eu sou tão bom que tenho consciência de que quando estou a ser vaidoso mais vale dizer que são tretas e passar à frente... como neste caso :)

Moyle, ?

Moyle disse...

ainda és novo para esse tipo de avaliações (acho eu).

Johnny disse...

Acho que a frase também chega a essa conclusão, pelo menos essa é a leitura que faço, ou seja, que não adianta andar com muitas teorias e pensar demasiado nas coisas, nem acharmos que somos grande coisa ou grandes merdas... são tudo patacoadas!

MZ disse...

Sim é verdade tudo pode ser vaidade, mas...
até o mais humilde ser humano é vaidoso quando nega não o ser. É tudo uma questão de interpretação.

Ter sucesso faz parte do projecto individual de cada um.Todos o queremos, não sejamos hipócritas! Ele alimenta o nosso ego enquanto ser humano a viver numa sociedade equilibrada.
Se vale a pena o lufa-lufa?
Valerá sempre a pena se o objectivo for conquistado e se formos recompensados por isso.
Penso que a pior sepultura será aquela que nos espera depois de um lufa-lufa estéril e sem realização pessoal.

Johnny disse...

MZ, acho que mais do que pensarmos no sucesso ou em qualquer coisa devemos pensar em nada... pelo menos em demasia. Pensarmos muito só nos faz mal, impelindo-nos à inacção. Fazer o que se gosta tudo bem, trabalhar para viver em vez de trabalhar para viver também está bem, mas pensar demasiado no sucesso ou no que quer que seja... patacoadas!

Lala disse...

pois... e amanhã hoje já será ontem... se não o fizeres hoje, ontem também não fazes... ;)

Johnny disse...

Lala, só dizes isso porque já é meia-noite... e eu fico confundido.

(Também já bebi geropiga, o que não ajuda)

pinguim disse...

Aposto que o Kerouac era do signo Le
ão.

Johnny disse...

É melhor não apostares, pinguim. Pelo que a wikipédia diz, nasceu em Março o que fará dele Peixes.... acho eu.

MZ disse...

Concordo contigo no sentido de que tudo o que é excessivo é demais!

E olha Johnny, a geropiga de ontem deu os seus frutos, mas eu entendi a tua resposta :)

Johnny disse...

Exactamente, MZ, é bom ter alguém que me entenda... e que me dê razão (principalmente que me dê razão)

Aconselho vivamente a jeropiga no Caqui, em braga, ao pé do bar da associação académica. É tipo uma tradição de Braga. (O mau humor do senhor Jorge faz parte da experiência)

(Hoje, já sem os efeitos adocicados da dita cuja, prendi-me no teu comentário relativamente ao uso correcto do G ou do J. Numa pesquisa pela Internet, parece que o Camilo Castelo Branco, numa obra sua, decidiu que com G era a bebida do mosto e da aguardente e que com J seria qualquer coisa medicinal, que até teria causado alguns incidentes diplomáticos, mas actualmente e segundo a ciberdúvidas, acho que o mais correcto é com J.... porque é como vem nos dicionários. Sendo assim, Mz, a partir de hoje vamos ambos usar Jeropiga com J, ok?)

Marta Lopes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marta Lopes disse...

Obrigada :) e um beijinho especial!


PS: O teu " Agora falta o ainda não" , já esta :P

MZ disse...

Ahahah... vamos SIM!
Não é que fui também fazer essa pesquisa hoje? E, de facto li o mesmo que tu sobre a forma de escrever a dita cuja.


Então um abraço para Braga e para o "rabugento" do Sr. Jorge!

Johnny disse...

MZ, Great minds think alike!

Juana disse...

Conheces uma fotografia do António Oliveira, antigo seleccionador português, acho que do Mundial da Coreia? No meio dos jogadores da selcção nacional ele aparecia na fotografia em bicos de pés. Como era baixote, queria aparecer mais alto, digo eu. Esse pos-se em bicos de pés para aparecer, mas alguns até atropelam e matam para se chegarem à frente e ficarem em primeiríssimo plano no raio da fotografia. Eu diria para esses tais, numa tradução mais livre do "hullaballoo boomboom horseshit", "para ti, toma lá, merda de cavalo". É um bom post e bom feriado para ti.

Johnny disse...

Não conhecia, Juana. Claro que já a descobri, aqui e está espectacular. Acho que não há mal nenhum em ter ambição, querer ter mais, melhor e tentar ser mais feliz, mas nunca através de "crescer" pelas aparências. Temos de perceber que tudo é efémero e não vale de nada pensarmos muito nas coisas ou levarmo-nos muito a sério. Bom resto de feriado também para ti.